publicidade

sexta-feira, julho 01, 2016

Conclusão da redação da "Vogue Brasil":

"Aqui, a gente não cria nada. Aqui, a gente o que faz é copiar. Copiar, de preferência, da  Anna Wintour. Aqui, a gente também faz muito jabá, aumentando os ganhos 'por fora' dos nossos 'jornalistas'".

DEU NA "FOLHA DE SÃO PAULO"
A famosa e premiada artista plástica Adriana Varejão publicou nas redes sociais a denúncia de que a "Vogue" brasileira copiou uma sua obra, da série Saunas, para ilustrar a capa da edição de julho 2016. O que foi que a "Vogue" respondeu? Que não era plágio, mas sim inspiração, e que, inclusive, a publicação teria citado isto em suas páginas.
Esse povo da "Vogue" se acha a última Coca Cola do deserto. Pensa que todo mundo é caipira e fica lisonjeado por sair na revista. Acham-se intocáveis. Como se tivessem o direito de tomar de assalto a obra de uma artista de renome internacional, como é a Varejão, e sem pedir autorização, pôr na capa e vender mais revista. 
Agora, a Varejão quer indenização. Não viu como louvor, e não precisa desse tipo de "homenagem".